Bibliotecas de conteúdo no VMware vSphere 6.5

Saudações galera 😊

Com o lançamento do VMware vSphere 6.5 ganhamos o aperfeiçoamento de alguns recursos e a inserção de novos. Falaremos especificamente hoje da biblioteca de conteúdo.

Que tem por finalidade armazenar, organizar e disponibilizar conteúdos pré-determinados aos administradores do ambiente de virtualização, este conteúdo pode ser: Imagem de sistema operacional, template de máquina virtual e até mesmo template de aplicações com extensão “.ovf” e “.ova”, conforme bibliotecas externas de terceiros e locais.

A biblioteca de conteúdo foi um recurso lançado na versão 6 do produto, porém nesta nova versão 6.5 ganhamos algumas possibilidades que não existiam na versão antecessora, que são:

  1. Carregar uma imagem de sistema operacional armazenada na biblioteca diretamente na máquina virtual;
  2. Atualizar um template de máquina virtual armazenado na biblioteca local;
  3. Customizar o sistema operacional da VM quando implantado a partir de um template armazenado na biblioteca de conteúdo.

Criar uma biblioteca

Para a criação de uma biblioteca de conteúdo faça login no cliente web do vSphere do vCenter Server 6.5 e clique em “Content Libraries”

Na guia “Objects” clique em “Create a new content library” para adicionar uma nova biblioteca de conteúdo

O assistente de criação de biblioteca será aberto, defina um nome para sua biblioteca com descrição caso necessário

A configuração da biblioteca pode ter 2 fontes, sendo um armazenamento local ou até mesmo uma biblioteca externa através de uma URL especifica, neste nosso caso iremos selecionar com o armazenamento local.

Posteriormente selecione qual a área de armazenamento que gostaria de alocar sua biblioteca em criação

A biblioteca de conteúdo pode nos abrir uma grande possibilidade de utilização dentro do cenário de virtualização além da organização dos conteúdos, sendo elas:

  1. Armazenar e organizar templates de máquinas virtuais;
  2. Armazenar e organizar ISO de sistemas operacionais;
  3. Armazenar template de aplicativos ou grupo de servidores que compõem uma aplicação;
  4. Externar uma biblioteca dando possibilidade para que outros cenários externos o acessem;
  5. Acessar bibliotecas terceiras de conteúdo sem a necessidade de criação de uma própria.

Além dos pontos citados acima vale salientar a agilidade na disponibilização de recursos utilizando a biblioteca de conteúdo.