Mito ou verdade: desfragmentar o HD diminui a vida útil do disco?

defrag

Olá…

Deparei-me com este debate hoje em um fórum e achei bastante intrigante: Mito ou verdade: desfragmentar o HD diminui a vida útil do disco?

Como a afirmação partiu de um técnico parceiro da Microsoft, fiquei bastante intrigado e fui buscar mais informações sobre o caso.

Com muito tempo de uso, alguns sistemas de arquivos costumam ficar fragmentados, ou seja, blocos de informações que deveriam estar próximos uns dos outros estão, na realidade, espalhados pelo disco rígido. Dessa forma, algumas operações exigem que o HD trabalhe muito mais, favorecendo não apenas o desgaste das peças mecânicas do disco como também tornando mais demoradas as operações de leitura e escrita de dados.

Para resolver esse problema, há ferramentas especializadas e até mesmo fornecidas gratuitamente junto com o sistema operacional, como é o caso do programa Defrag, do Windows. Elas são responsáveis por reorganizar esses dados, com o propósito de dar menos trabalho para o HD.

Em teoria, reorganizar esses blocos de dados ajuda a agilizar o acesso aos arquivos: por estarem todos mais próximos e organizados, não é necessário tanto movimento mecânico da cabeça de leitura do HD. Porém, muita gente acha que desfragmentar demais um disco pode fazê-lo “pifar” mais rapidamente, já que existe uma utilização “intensa” dos mecanismos do HD naquele dado momento.

Analisando deste ponto de vista, realmente existe um pouco de lógica…agora imaginem o centro de dados do GOOGLE, na quantidade de dados que existem lá e o nível de conhecimento (e preocupação) por parte dos técnicos de lá.

Assim, surgiu um estudo apresentado por Eduardo Pinheiro, Wolf-Dietrich Weber e Luiz André Barroso, funcionários da empresa, onde foi feita análise de mais de cem mil HDs, na tentativa de encontrar em um padrão que tenha levado esses equipamentos à falha.

O resultado? “Nossos dados indicam que há uma relação muito mais fraca entre níveis de utilização e falhas do que estudos anteriores atestavam”. Resumindo: não existe nada que comprove, de fato, um impacto negativo pelo uso exaustivo do equipamento, ou ainda, na utilização de aplicativos como o Defrag.

No final das contas, percebeu-se que os problemas ocorrem geralmente em HD’s mais novos ou mais velhos, ou seja, se o equipamento sobreviver alguns anos, deve perdurar por bastante tempo (particulamente inclusive escutei por muitos anos que equipamento eletrônico, quando não dá problema logo, vai durar bastante rsrsrsrss, pelo visto é verdade).

O estudo completo (em inglês), pode ser visto aqui:

http://static.usenix.org/event/fast07/tech/full_papers/pinheiro/pinheiro_html/


Referências:

“Failure Trends in a Large Disk Drive Population”. Disponível em <http://static.usenix.org/event/fast07/tech/full_papers/pinheiro/pinheiro_html/>. Acessado em 16/07/2014

“Mito ou verdade: desfragmentar o HD diminui a vida útil do disco?”. Disponível em <http://www.tecmundo.com.br/mito-ou-verdade/24704-mito-ou-verdade-desfragmentar-o-hd-diminui-a-vida-util-do-disco-.htm>. Acessado em 16/07/2014

Até a próxima,

Edinaldo Oliveira