[Opinião] – Microsoft: Qual o futuro do império?

Nota importante: O texto abaixo não expressa a opinião do CooperaTI sobre a Microsoft ou seus produtos. É a opinião pessoal do autor do texto, Laerte Costa. Caso deseje, coloque o seu comentário que o próprio autor irá responder. 

Salve, salve pessoal do Cooperati, a um tempo venho observando as ações que a Microsoft vem tomando para continuar na dianteira do mercado de PCs, além de conquistar outros mercados. Então resolvi escrever sobre este assunto e analisar se elas poderão dar certo no futuro.

Como todos sabem o carro chefe da Microsoft é o mundo dos PCs e ela sempre investiu pesado nesse segmento, só que de uns anos para cá, o seu domínio começou a ser ameaçado. O primeiro impacto foi no mundo dos browsers, onde por muito tempo ela imperava notoriamente com o seu Internet Explorer, ou mais conhecido como IE, com quase 100% do mercado.

Quando surgiu a Mozilla e o seu Firefox, esse império começou a estremecer, tendo ele a ter conquistado 20% da fatia que pertencia ao IE, mas ninguém pensava que um dia ele poderia ultrapassá-lo. Isso realmente ainda não aconteceu, só que surgiu um fator novo nesse assunto que foi a Google ter lançado o seu próprio browser, o Chrome, com isso a primeira luz de alerta na Microsoft acendeu pois em pouco tempo o seu novo competidor já havia tomado o segundo lugar da corrida dos browsers e continuando no ritmo acelerado que estava tomaria o primeiro lugar facilmente.

Nessa hora todas as luzes no setor do IE já estavam acessas e novas versões já estavam sendo lançadas, coisa que não acontecia a quase 6 anos, porém pela primeira vez a Microsoft se sentiu ameaçada e fez de tudo para continuar na liderança até lançando atualizações em intervalos não costumeiros dela, só que não adiantou, o Chrome a ultrapassou a tempos atrás e nessa guerra ela teve a sua primeira baixa. O principal motivo para isso foi ter deixado de lado, por tanto tempo, uma ferramenta fundamental no mundo da internet, que é o browser, como resultado acabou colocando o seu produto com má fama no mercado e como dizem “manter uma boa fama tem que suar bastante, mas perde-la basta uma ação mal feita”

Mas você pode estar pensando, a Microsoft perdeu somente a guerra dos browsers, porém nos SOs para PCs ela ainda reina e esse império não vai cair. Entretanto a Microsoft, talvez não esteja pensando dessa forma, tomando em vista a baixa que sofreu com o IE.

Mas o que leva ela a pensar dessa forma? Os motivos são muitos, o primeiro é que outros SOs “emergentes” começaram a cair mais no conhecimento do publico, o principal deles é o MAC da Apple, que caiu no gosto de muita gente graças ao lançamento do seu Iphone, hoje você vê muitos mais deles do que a 5 anos atrás e o outro é o Linux, mas este ainda engatinhando, mas em uma curva crescente.

Outro ponto que ela esta levando em conta é que ela não pode lançar um produto e deixá-lo de lado, sem tentar melhora-lo constantemente, o mercado de software, principalmente os dos SOs, está muito dinâmico e qualquer “piscada de olho” você fica para trás e isso também foi mostrado pelos concorrentes que apareceram, o Linux, através da distribuição mais conhecida, a Ubuntu, lança uma nova versão a cada 6 meses e a Apple quando lança um novo MAC OS, cobra um valor bem abaixo do valor de uma versão sem ser atualização, mas mesmo uma versão “completa” sai bem mais em conta que uma versão parecida com a do Windows.

A questão de atualização é outro ponto que pesa, pois poucos atualizam o seu sistema para uma nova versão porque se fizerem o hardware não seria compatível, então ela teria que comprar um novo hardware além da atualização, algo que o seu concorrente direto, que cobra por atualização deixa fazer, que é somente atualizar o SO sem comprar um novo hardware.

Nota: Não citei o Linux nessa comparação pois ele é de graça e não envolve custos de atualização de versão, apesar de que ele também não necessita de atualização de hardware.

Pensando nisso a Microsoft, reformulou as suas atualizações, isso também graças ao grande desastre que ela cometeu que foi ter lançado o Windows Vista, que foi um campeão em criticas negativas.

Vendo que ela poderia perder um pouco as rédias, ela lançou o Windows 7 que resgatou um pouco da credibilidade, pois para quem comprou o Vista não precisaria atualizar o hardware para executar o seu sucessor. E não parou por ai em menos de 3 anos ela já atualizou novamente o seu SO cliente, o recém lançado Windows 8, só que talvez ela não esperava que houvesse uma enorme rejeição por ele, já que sua interface foi toda reformulada e o usuário terá que aprender a usar o sistema novamente, e como sabemos o ser humano é resistente a mudanças, seja ela qual for.

Talvez vendo que ela poderia dar um tiro no pé com isso, ela fez a estratégia que a Apple faz, lançou uma versão de atualização com preço bem menor que uma versão completa, porém fez mais, nesta promoção ela não exige o Windows a ser atualizado seja original, na minha opinião uma grande sacada, pois assim ela estimula muitos a usarem o novo SO, pois outro ponto que faz ela deixar de lucrar são os altos valores cobrados pelo Windows em relação aos seus concorrentes e acho que seria melhor ela manter essa “promoção”, pois ela tem só a ganhar em vez de manter preços astronômicos o que estimula os usuários a usarem outros sistemas ou partir para outros meios.

Creio que ela está tendendo a esta minha teoria, pois recentemente saiu uma noticia de que ela estaria desenvolvendo um projeto, chamado de “Blue” em que lançaria atualizações do seu SO corrente com um preço parecido com esse praticado na atualização do Windows 8, com a frequência que o Ubuntu lança.

Outro fator que está deixando-a em sinal de alerta é que a frase de que certos programas só rodam no Windows está caindo por terra, como falei em um post atrás, as empresas de jogos já partiram para o Linux e estão lançando jogos para essa plataforma e um dos motivos é que o Windows 8 não é uma boa plataforma para lançar seus jogos (segundo as próprias desenvolvedoras) e outras empresas tradicionais do mundo Windows como a Adobe, já está pensando em lançar sistemas para o mundo Open-Source. Se isso acontecer será uma grande pancada na empresa de Redmond, pois impulsionará muito as empresas a adotarem o Linux como sistema operacional principal em suas tarefas.

Porém a Microsoft, já atentou a esse ponto tanto que hoje não se rotula como uma empresa de software e sim uma empresa de serviços, motivos para isso são muitos, o seu portfólio, aumentou bastante de um tempo para cá, ela investiu pesado no mundo dos games, com o seu XBOX e agora no mundo mobile com o Windows Phone junto com a parceria a Nokia e o tablet Surface.

Destes projetos o mais vitorioso é o XBOX. O Windows Phone e o Surface ainda são incógnitas, apesar de serem recentes não demonstram sinais de crescimento significativos. Acredito que o Surface é um grande projeto, mas com certeza irá ter rivais de peso, se ela quiser vencer essa guerra, terá que investir pesado para tirar terreno do iOS e do Android, seus concorrentes diretos neste segmento.

E para finalizar outra investida que ela está apostando é a Nuvem, junto com o Azure, nessa etapa, creio que também terá sucesso, pois já possui uma plataforma consolidada e ferramentas para gerencia-la, tais como o System Center.

E você o que acha que será o futuro dessa gigante, ela vai continuar investindo em SO cliente ou vai deixá-lo mas irá investir mais em outras vertentes? Na minha opinião, creio que a segunda será a vencedora. Deixe sua opinião, ela com certeza é um termômetro para ela.