Compre com inteligência

Já foi o tempo em que o gestor de TI de uma empresa tinha que se preocupar somente com aspectos técnicos de sua infraestrutura. Qual tecnologia usar, como implantar, quando implantar e os problemas do dia-a-dia. Estas eram as principais preocupações deste profissional no passado.

Agora o responsável pelo departamento de TI, tem que estar alinhado com a estratégia de negócios de sua empresa. Tem que ter, além do conhecimento técnico necessário, uma experiência administrativa e até uma visão empreendedora. A área de TI deixou de ser um passivo e passou a ser tão importante para o sucesso de sua empresa, quanto o departamento de marketing, por exemplo.

Em muitas empresas é a própria equipe de TI que faz as compras para seu departamento, e por isso tem sempre que identificar se a forma como esta fazendo a compra é a que oferece o melhor custo/benefício. Por mais estranho que possa parecer, o menor preço unitário nem sempre é o que oferece o menor custo de aquisição, vou exemplificar abaixo para ficar mais claro.

O projeto

Imagine que sua empresa possua um parque de 100 computadores e que estejam todos muito antigos, precisando trocá-los imediatamente. Depois de definido a especificação das máquinas, você foi no mercado e identificou que o menor preço possível para a sua configuração é de R$ 1.500,00 por máquina. Isso dá um total para o projeto de R$ 150.000,00.

A principio é só passar este valor para sua diretoria, pois como é o menor preço do mercado, provado através das várias cotações feitas por você, é o melhor negócio que sua empresa pode fazer para trocar o parque de máquinas. Correto ? Errado.

Lembra que falamos que é importante o gestor de TI estar alinhado com a estratégia de negócios da sua empresa? Neste caso é importante saber se empresa tem caixa folgado para compras à vista e como ela esta enquadrada fiscalmente. Se a empresa esta em um momento de investimento e estiver enquadrada no lucro real, talvez seja melhor optar por uma forma de compra que transforme este custo em despesa operacional. Assim vamos pagar uma pequena parcela mensalmente como um serviço e ainda poderá abater da base de cálculo para imposto de renda da sua empresa.

Leasing pode facilitar a sua vida

Existem várias formas de se comprar produtos e softwares como serviço. O software pode ser comprado através de subscrição e o equipamento através de aluguel. Existe também a opção de leasing operacional.

O leasing operacional permite um financiamento do bem por um custo financeiro bem inferior ao financiamento tradicional de CDC. Além disso propicia benefício fiscal às empresas tributadas pelo critério de lucro real, pois permite que as contraprestações sejam contabilizadas como despesas operacionais, o que reduz a base para a tributação do Imposto de Renda.

O ideal é que durante o processo de compra, o gestor de TI envolva também o departamento financeiro da empresa para estudar os possíveis benefícios fiscais. Além do benefício fiscal, o leasing tem os seguintes benefícios:

  • Financiamento independente não afetando os limites de crédito com outras instituições bancárias;
  • O bem não é imobilizado no balanço de sua empresa;
  • Libera recursos para o capital de giro de sua empresa;
  • Não há incidência de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) no leasing, pois não é considerado uma operação financeiro;
  • O contrato de leasing não é contabilizado no passivo de sua empresa.

Na prática

Vamos ver um exemplo prático com alíquotas reais. Só não temos como simular os benefícios fiscais pois esta é uma questão particular a cada empresa e deve ser vista por sua equipe financeira.

A Lenovo recentemente fechou parceria com o banco CIT para leasing operacional e financeiro e vamos usar as suas alíquotas para demonstrar como ficariam os valores do projeto proposto no início deste artigo pelo financiamento com leasing operacional em 36 meses. Vejamos a tabela abaixo:

Valor da parcela Total do financiamento Custo do financiamento
R$ 4.605,44 R$ 165.795,84 R$ 15.795,84

A compra financiada adiciona um custo a aquisição de R$ 15.795,84, ou R$ 438,77 por mês. Isso representa um adicional de 10% no custo do projeto. Dependendo de como sua empresa esteja enquadrada fiscalmente, este valor pode ser facilmente compensado no seu imposto de renda.

Fonte: Blog da Infobusiness

  • Éd

    Parabéns pelo Post !!

    São estas informações que destacam qualquer profissional no marcado , principalmente na área de TI, onde hoje temos a maioria mensurando sua expertise somente no conhecimento técnico e não de gestão !

    É senhores, o mercado é extremamente exigente, se você é um dos tipos de profissionais que citei logo acima, coloque as “barbas de molho” porque o mercado não esta mais assim !

    Vamos para um pouco de ficar “bitolado” em clique, next, finish ou tela preta se achando o He-Man porque sabe dar comando, e se ligar mais em negócio, gestão de negocio, regra de negocio, empreendedorismo e tudo mais.

    Somente nós profissionais de TI que podem mudar este quadro, o marcado está aí selecionando, mas e nós ? estamos preparados ?

    A Cooperati em parceria com a Infob está fazendo a parte dela no contexto, ajudando-nos com posts interessantíssimos tanto na parte técnica quanto a de gestão.

    Com tudo isso que a comunidade está fazendo só é profissional ruim quem quer ! temos condições sim de vencer a seleção do mercado, quem ganha com isso é todo um ecossistema que envolve o usuário final (clientes) com serviço de qualidade oferecido por empresas que contratam profissionais de qualidade.

    Valew Coperati , Valew Infob !

    • Olá Éd,

      Obrigado pelas suas palavras. Realmente hoje o mercado procura um gestor de TI mais alinhado com as estratégias de negócio do que um “escovador de bits”. É óbvio que o conhecimento técnico ainda é muito importante, porém também é muito importante o profissional buscar uma formação multidisciplinar.

  • Jefferson

    ótimo post, parabens,….
    ótimas dicas!