DNS – Digital Nervous System

O DNS é o serviço responsável por traduzir nomes em endereços IP e vice-versa de um determinado domínio. No Linux, este serviço é implementado pelo nosso querido BIND. O BIND que trabalha numa arquitetura cliente-servidor, cujo resolvedor é o cliente que faz perguntas sobre um determinado computador e o servidor de nomes, é implementado pelo daemon named, que responde às perguntas. Entretanto, neste artigo, não será visto como configurar ou administrar um servidor de nomes nem mesmo um cliente DNS de uma rede. Ao contrário, será abordado um modelo cooperativo e colaborativo de administração do conhecimento denominado DNS, que do inglês, Digital Nervous System.

O DNS (Sistema Nervoso Digital) diferentemente do nosso BIND/DNS (Domain Name System) é uma excelente ferramenta para administração. Ele combina hardwares e softwares, proporcionando maior rapidez e riqueza de informação para auxílio à tomada de decisões. É imprescidível que os colaboradores de uma empresa inteligente estejam antenados ao novo nível de inteligência eletrônica implantado nas empresas. Para isso, costuma-se usar uma metáfora que explica que o sistema nervoso biológico aciona os reflexos para lidar com os perigos e necessidades, enquanto o Sistema Nervoso Digital, é equivalente para identificar as tendências, assumir riscos e possibilidades de negócios. Esse sistema consiste em processos digitais que possibilitem à empresa compreender e agir dentro de seu meio, identificar desafios e organizar reações.

Exemplos de utilização do DNS por empresas de grande porte, destaco:

  • A decisão da Netscape, de abrir o código fonte do seu navegador para sobreviver no mercado e competir com o Internet Explorer na década de 90
  • A decisão da Apple em lançar um modelo diferenciado de computador portátil e não optar pelo Flash e sim pelo HTML5
  • A decisão da Microsoft em apostar que o futuro do computador estaria nos desktops
  • E da própria Red Hat que optou por transformar seu sistema operacional Linux (Red Hat Linux) no produto comercial Red Hat Enterprise Linux, um dos mais utilizados pelas empresas que precisam rodar aplicações de grande porte e alto desempenho.

Para construir a empresa inteligente é fundamental contratar os melhores cérebros. Quanto maior for a “banda larga” da equipe, ou seja, quanto maior for a capacidade de armazenar e transportar informações, maior será a inteligência coletiva e o potencial da empresa. Administrar o conhecimento, criar uma cultura de cooperação e colaboração entre a equipe será um fator crítico de sucesso.

Por outro lado, para tirar vantagens do DNS e seus benefícios, é importante explorá-lo com inteligência. Diferentemente dos outros avanços tecnológicos, o DNS é muito acessível e não requer alto investimento. Ele apresenta quatro utilidades básicas que mantém você atualizado 24 horas por dia:

As quatro utilidades do DNS

  • Produzir, receber, armazenar, acessar e distribuir documentos e dados de todos os tipos
  • Comunicar-se e trocar informações úteis com pessoas de qualque lugar do globo através da Internet.
  • Receber informações atualizadas em tempo real sobre operações e resultados.
  • Fazer negócio com clientes e fornecedores

Além das quatro utilidades do DNS, recomenda-se:

1. Usar textos digitais em substituição as folhas de papel;
2. Estimular o trabalho em equipe e difundir a informação simultâneamente para todos
3. Fornecer informações atualizadas sobre a situação de mercado da empresa
4. Identificar as melhores idéias e exagerá-las por toda a empresa;
5. Estabelecer parcerias importantes e manter um bom relacionamento com colaboradores internos;

Muitas empresas estão aderindo e desenvolvendo o DNS para continuar sobrevivendo no mercado que a cada dia, requer serviços mais rápidos, estáveis e personalizados. Na verdade, adotar esse método de trabalho, não é uma opção, mas passa a ser uma necessidade. Se você é um técnico ou analista Linux que trabalha e gosta de Open Source, e pensa em abrir sua própria empresa, recomendo fortemente a utilização do DNS. Procure identificar produtos em potencial no mercado que agregem valor seu negócio, especialize-se, crie um ecossistema de serviços em torno desse produto e agregue o DNS, que certamente você estará no caminho do crescimento e consequentemente do sucesso.

Este artigo foi escrito por nosso amigo, e ex-aluno, Alessandro Silva. Segue abaixo seu Currículo resumido
Especialista em TI Aplicada à Educação pelo iNCE/UFRJ e Bacharel em Informática pela Estácio de Sá. Possui as certificações LPIC1, LPIC2, LPIC3, Novell DCTS e NCLA. Atualmente, é Analista Linux N3 na Todo! Soluções em Tecnologia e SysAdmin colaborador da Revista Espírito Livre. Seu contato é www.facebook.com/alessandrosilva.info

  • Fábio

    Uso Brazilfw por causa do cache lusca storeurl 3GB na ram objetos até 100MB e 5GB até 500mb no disco o que ficou a navegação mais rápida que no zentyal mas agora queria AD. Pensei em 2 VM com o BFW fazendo cache e o Zentyal fazendo o AD. Máquina com 8GB Athlon x2 B24. Ou tem como instalar o lusca mais storeurl no Zentyal?